Author Archives

Je suis professeur d'anglais pour les enfants et les adultes. Diplômé en langue anglaise avec une maîtrise en linguistique.

*I am an English language teacher for children and adults. I have graduated in English Language Arts and hold a Master in Linguistics.

** Professora por escolha e paixão. Formada em Letras língua inglesa com mestrado em Linguística.

  • Qual a sua tribo?

    Sem dúvida, os diferentes conceitos dados a comunidade de fala (ou lingüística) são reflexo da diversidade de interesses dos estudos lingüísticos. Dessa forma é coerente que o conceito dado por Gumperz, um sócio-interacionista, dê prioridade a aspectos de interação entre os membros de uma comunidade, assim como é natural que Hymes, um etnolingüísta, enfatize o fato de que o sentimento de comunidade compartilhado pelos membros seja mais importante.

  • Sociolinguistica na sala de aula

  • Heterogeneidade linguística

    A concepção heterogênea de língua defendida por Labov é resultado da assunção definitiva do aspecto social da linguagem que traz em seu bojo o estudo dos diversos condicionadores sociais que operam na variação e mudança lingüística. Como lembra Dorian (1994 apud MONTEIRO, 2000, p.58), “a heterogeneidade lingüística reflete a variabilidade social e as diferenças no uso das variantes lingüísticas correspondentes às diversidades dos grupos sociais e à sensibilidade que eles mantêm em termos de uma ou mais normas de prestígio”.

  • Preconceito linguístico

    O Estado, com suas políticas lingüísticas, dá, portanto, o primeiro passo, para a imposição de uma dada norma lingüística, como foi feito no Brasil na época de Pombal, mas para que uma cultura lingüística se constitua como característica de um povo é preciso que se estabeleça uma outra força de dominação, que é a dominação simbólica caracterizada por coerções exercidas também entre os membros de uma comunidade.

  • Heterogeneidade linguistica

    A língua, minha gente, é livre e boa, nós é que a aprisionamos em nossos modelos ‘clássicos’ e ”necessários’ de comunicação que demanda a sociedade. A característica fundamentalemente social da língua (aqui está minha visão de sociolinguista) permite que isso (a variação e mudança) aconteça. Permite que no imenso território brasileiro encontremos ricas variedades do português ‘bem dizido’. É linda a língua livre.

  • Qu’est-ce que c’est?

    O Francês é uma das principais línguas românicas, com número de falantes que, segundo consta, é inferior apenas ao número de falantes de espanhol e português. A maior parte do vocabulário francês é de origem latina e germânica. De complicado para mim só tem a pronúncia.

  • “Nossa Língua Portuguesa”

  • Hey teacher, leave the kids alone!

    Eu estou rouca, minha garganta dói e estou febril. Minha cabeça está parecendo uma bomba relógio. Tem tanta pergunta martelando aqui dentro ainda; umas vem aos berros. Minha vista está embaçada. Tem tanto movimento no ambiente. Pernas e braços passando… Read More ›

  • Mas uma vez o português!

    Língua, língua, minha língua! Chamem-na de portuguesa se quiserem, coloquem-na todas as camisas de força que puderem, enquanto me houver liberdade, farei dela entidade, que sai da boca babando, gritando, chorando, gargalhando que vai aos textos cantando, pintando, maquiando Afinal… Read More ›

  • Trocando em miúdos!

    Cezar e o antigo império romano: Panis et circensis”! Minha política também é por vezes a da negligência às grandes causas humanas, da obliteração do espírito crítico que parece querer se apoderar de nós depois de um certo tempo de… Read More ›

  • Entre pais, filhos e professores…

    Cada um que é sabe das dores e das alegrias de ser pai e mãe. Ser mãe é tornar-se linda no sentido pleno desta palavra. É tornar-se mulher no sentido mais divino que essa palavra pode carregar; é assumir o compromisso diário de educar. Ser pai também é divino e lindo e tem uma dose tão pesada e dolorida quanto à da mãe no sacrifício diário de educar.